Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Grande Caminhada do Ventor

A Grande Caminhada do Ventor

milan.jpg

Tal como o milhafre vejo a minha Grande Caminhada de cima para baixo



Tudo começou aqui, em  Adrão, na serra de Soajo. No dia 06 de Janeio de 1946, dia de inverno, aquecido pelos raios do meu amigo Apolo, o mundo recebia de braços abertos a chegada dum puto que veio a fazer as suas caminhadas pelos trilhos que o Senhor da Esfera lhe estendeu neste Planeta Azul.


Techo_de_Altamira_(replica)-Museo_Arqueológico_Na

O tecto da Gruta de Altamira, onde mãos de milénios nos deixaram em pinturas estas belas mensagens visuais.


O Ventor saiu das trevas ... para caminhar entre as estrelas.

Ele sonha, caminhando, que as estrelas continuam a  brilhar no céu, que o nosso amigo Apolo ainda nos dá luz e que o nosso mundo continua a ser belo e a fazer pinturas.


Os Blogs do Ventor, do Quico e do Pilantras


Adrão e o Ventor
Caminhando por aí
Ventor e a África
O Cantinho do Ventor
Planeta Azul
Observar o Passado
A Arrelia do Quico
Os Amigos do Quico
Fotoblog do Quico
Fotoblog do Ventor
Fotoblog de Flores
Rádio Ventor
Pilantras com o Ventor
Fotoblog do Pilantras
Montanhas Lindas
Os Filhos do Sol
As Belezas do Ventor
Ventor entre as Flores


Novos posts nos meus Sites

 

Não desanimem. Vamos lá! Último post nas caminhadas do Ventor - Sair de Casa

Mais um post, nos Filhos do Sol, sobre a vespa asiática, em Mafra. Bichinho terrível - Outra vez a Vespa Asiática

01.07.20

Os Cossacos


Ventor e Quico

De onde vieram e para onde foram os nossos conhecidos Cossacos?

Os Cossacos são nascidos e criados nas estepes. A sua origem estará nos territórios que hoje constituem a Ucrânia. Pelo menos foi por aí que eles começaram a ser conhecidos.

Porém, os Cossacos, os Rutenos, povos das estepes da Europa do Leste, foram sobrevivendo através dos séculos do segundo milénio A.D. num emaranhado de batalhas, de guerras, de todas as espécies de confrontos, nesse espaço, onde várias culturas e poderes se confrontavam todos os dias.

Os Cossacos serão, provavelmente, de origem rutena ou, caminharam juntos nas mesmas estepes e fizeram parte das mesmas lutas. Os rutenos, tal como os Cossacos, eram trabalhadores dos campos que lutavam para sobreviver. Os camponeses rutenos e cossacos estavam amarfanhados por um tal poder aristocrático da República das duas Nações que os submetia a uma autêntica escravatura. Os aristocráticos negociavam os alugueres dos seus "latifúndios" com judeus que, por sua vez, usavam os rutenos e os Cossacos, praticamente, como escravos, nos trabalhos campestres. Eles partilharam as mesmas estepes, os mesmos rios, as mesmas planícies.

Oboz_Zaporozcow

Cavalgando guerras e músicas, nas estepes da sobrvivência

Uns e outros, entrechocaram-se com todos os povos que caminharam nas estepes russas, polacas, búlgaras, ucranianas, ... e, para seu desencanto, acabaram por enfrentar todos eles e ainda, os tártaros que avançaram sobre a Europa de Leste, vindos das estepes asiáticas empurrados pelos mongóis de Gengiscão e seus sucessores. As invasões mongólicas, trouxeram com eles os tártaros, amigos de estimação dos cossacos que se foram digladiando nos confrontos das religiões cristãs, romana e ortodoxa, contra a religião muçulmana dirigida contra a Europa pelos turcos otomanos. Foi numa imensa caldeirada de culturas que os Cossacos foram sobrevivendo.

Na sua caminhada de séculos, os rutenos e os cossacos, fizeram parte como povos, da República das duas Nações que dominou um somatório de territórios e povos que hoje, fazem parte da Polónia, da Bielorrússia, da Ucrânia, da Lituânia, da Estónia e parte da Rússia Ocidental, os chamados Oblasts (províncias) de Smolesk e Kaliningrado.

 

Pic_I_V_Ivasiuk_Mykola_Bohdan_Khmelnytskys_Entry_to_Kyiv

A revolta dos Cossacos, entrada em Kiev de Bohdan Khmelnytskys

Quando já nada havia a fazer, os Cossacos, acabaram por se revoltar, comandados por Bodhan Khmelnytsky que disse que os polacos os venderam como escravos aos judeus e, na sequência dessa revolta, foram mortos pelos Cossacos imensos judeus e os grandes senhores da República das duas Nações que, então, administravam os territórios ucranianos.

Embora os Cossacos fossem derrotados, em 1651, na Batalha de Beresteczko, essas revoltas serviram de protesto para a intervenção dos russos e dos suecos que invadiram a República das duas Nações, espartilhando-a, entre as duas nações intervenientes - Leste, para a Rússia e Oeste, para a Suécia. Porém, essas ocupações foram de pouca dura. Os suecos foram derrotados e expulsos, em 1657 e os russos, em 1662.

A República das duas Nações, tinha sido constituída pela União de Lublin, em 1569, unindo o Reino da Polónia e o Grão-Ducado da Lituânia e, devido a tratados e casamentos, durou nesta forma até à Constituição de 1791.

Saídos das liças bélicas e dos tratados polaco-russos, os Cossacos passaram a ficar, na sua maioria, sob influência do Império russo e com o andamento do tempo, os cossacos foram espartilhados por várias árias russas. Grupos diferentes de Cossacos foram assomando a várias regiões do Império Russo, entre elas, Sibéria, Baikal, Ural, Don, .... Eles foram a ponta de lança da conquista da Sibéria pelos russos e desempenharam grande papel na sua colonização.

 

Surikov_Pokoreniye_Sibiri_Yermakom

Os Cossacos ajudaram a conquistar a Sibéria

Os Cossacos tornaram-se bem conhecidos da Europa Ocidental, nos meados do Séc. XVII, devido à revolta de Bohdan Khmelnytsky e dos Zaporozhianos, contra a República das duas Nações, em território hoje ucraniano e consideram-se os Cossacos, como os verdadeiros fundadores da Ucrânia...

Os Cossacos, tiveram uma grande influência na Europa centro-leste dos séculos passados, especialmente, as suas forças de cavalaria, que lutaram intensamente contra as forças tártaras do Império Otomano, levando as suas escaramuças até aos arredores de Istambul. Eles constituíram corpos de cavalaria nas estepes, ao serviço da Ucrânia quando esta fazia parte da República das Duas Nações e dos russos à medida que eram integrados nos seus domínios territoriais.

 

Segundo informações dos últimos sensos, não há números exactos dos Cossacos existentes actualmente, mas estimam-se a existência de alguns milhões e saídos deles, 150.000 nas forças armadas da Rússia.

Nas Forças Armadas Russas dos últimos 3-4 séculos, os Cossacos tiveram papéis determinantes nas guerras em que a Rússia interveio, contra o Império Otomano, contra a Pérsia, nas lutas pelo domínio da Sibéria Central, nas invasões napoleónicas e outras.

 

Wesele_Kozackie

Cavalgadas de guerras e cavalgadas de músicas

Na Guerra Civil russa, os Cossacos, como entidade colectiva, não participou em nenhum dos lados mas, muitos Cossacos acabaram por alinhar ao lado dos Russos Brancos uns e dos Bolcheviques, outros.

O que ressalta dos Cossacos é, como rezam as suas caminhadas históricas, a desenvoltura das suas hostes de cavalaria contra os seus inimigos, otomanos e outros, como militares e a beleza das suas cavalgadas musicais, ao lado das suas armaduras, tambores, balalaicas e outros instrumentos musicais, cavalgando as suas músicas pelas estepes das suas regiões.


O Ventor, saído da escuridão para a Luz iniciou a sua Grande Caminhada no Planeta Azul . Foi sob o Tecto do seu amigo Apolo que aprendeu a conhecer os seus amigos, ... o porco e todos os outros